"O aluno é o mais importante elo em toda a atividade educacional do ITA"

No livro "A trajetória de um visionário", que conta a história do criador do ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica), Casimiro Montenegro Filho, existe um capítulo chamado "As razões do sucesso do sistema educacional do ITA". E logo na primeira página, dois parágrafos deixam evidentes os motivos pelos quais o ITA é referência. Um deles diz: "Os formados, não apenas informados, haveriam de ser líderes".

O outro descreve o princípio básico: "O aluno é o mais importante elo em toda a atividade educacional". Com essa concepção nasceu, em 1939, o ITA. E com esse preceito conquistou respeito e se tornou uma das principais escolas de engenharia do país.

O ITA oferece os cursos de Engenharia Aeronáutica, Engenharia Eletrônica, Engenharia Mecânica-Aeronáutica, Engenharia Civil-Aeronáutica e Engenharia de Computação. No Vestibular 2009, os coordenadores de cada curso foram entrevistados pela assessoria de comunicação do Poliedro. Ao serem questionados a respeito do índice de empregabilidade para o engenheiro formado no ITA, todos deram a mesma resposta: 100%.

A estrutura oferecida influencia, pois, logica-mente, o ITA possui biblioteca, bons laboratórios, alojamento, um projeto político-pedagógico constantemente revisto e atualizado, além de um corpo docente de qualidade. Mas o que molda o engenheiro do ITA não é somente a estrutura disponibilizada, mas sim a atuação dirigida do aluno integrado na comunidade iteana, uma comunidade com visão e valores próprios.

E a metodologia reflete nas pesquisas realizadas pelo Governo. Em novembro de 2011, o MEC (Ministério da Educação) divulgou a lista com a avaliação das faculdades e centros universitários, conforme o IDC (Índice Geral de Cursos). O ITA ficou em primeiro lugar entre as instituições especializadas em tecnologia. São José dos Campos – A cidade foi escolhida por vários fatores. O primeiro deles foi a localização, já que São José dos Campos está situada às margens da Rodovia Presidente Dutra. O clima, a topografia plana e a facilidade de comunicação também foram preponderantes. Outros fatores também influenciaram, como a disponibilidade de energia, a proximidade ao porto de São Sebastião e o fácil acesso às indústrias.

Mais tarde, confirmou-se que a decisão foi acertada. Com 610.965 habitantes, São José dos Campos tem o 9º maior PIB do Brasil e o 3º do Estado de São Paulo. Está a apenas 100 km da capital e é um dos centros industriais e de serviços mais importantes do Brasil.

Além disso, é a 2ª maior cidade exportadora do país, com US$ 4,7 bilhões em 2004, ocupa a 9ª posição entre as 100 melhores cidades brasileiras para negócios, conforme pesquisa da Revista Exame, divulgada em 2002. Em outra pesquisa, realizada pela Revista Você S/A, em julho de 2005, foi apontada como a 3ª melhor cidade para se trabalhar entre as não capitais.

O complexo industrial de São José dos Campos, que conta com 1.251 indústrias, abriga importantes empresas, como a Embraer, a Petrobras, a General Motors, a Monsanto, a Ericsson, a Johnson & Johnson, a Panasonic, entre outras.

Fontes: Livro "A trajetória de um visionário" e portal da Prefeitura Municipal de São José dos Campos Foto: Acervo do ITA.