Not support Recaptcha
Pular navegação

Práticas Pedagógicas

Como usar design thinking em sala de aula

18 de maio de 2021

Compartilhe

Tags

  • Design Thinking
  • Práticas Pedagógicas
  • projetos

Como usar design thinking em sala de aula

Você já ouviu falar em “Design Thinking”? O termo surgiu nos Estados Unidos no início dos anos 60, e se refere a uma abordagem para soluções de problemas baseada em processos de análises críticas e criativas.

Suas aplicações são variadas. Nas empresas, é comum que a abordagem seja utilizada para encontrar soluções para os mais diversos problemas. A partir de uma análise feita a partir de diferentes perspectivas, é possível ter um melhor entendimento do obstáculo para que seja encontrada uma conclusão.

O Design Thinking também é muito utilizado no desenvolvimento de novos produtos e serviços. A ideia é que, a partir da reunião de profissionais de diferentes áreas e habilidades, o nível de inovação seja elevado e alcançado no processo de criação.

Na educação, a abordagem busca trazer mais empatia nas soluções dos problemas que podem ser solucionados pelos estudantes. A ideia é que o processo seja realizado de forma coletiva e colaborativa, de modo a reunir o máximo de perspectivas diferentes. Assim, o estudante assume mais protagonismo no processo de construção do seu conhecimento.

As bases do Design Thinking

O Design Thinking está ancorado em três pilares básicos que ajudam a compreender os problemas e experimentar novas soluções: a empatia, a colaboração e a experimentação.

A ideia de empatia significa se colocar no lugar do outro para entender melhor seus sentimentos, necessidades e desejos. Somente ao levarmos em conta as condições e perspectivas dos outros, podemos encontrar soluções que sejam significativas para todos.

A colaboração ou cocriação de diferentes pessoas é um dos pontos mais importantes do Design Thinking, pois esse é o momento no qual surgem novas soluções para os problemas. O objetivo aqui é que brotem, colaborativamente, ideias e insights inovadores para os problemas observados.

A experimentação permite que as ideias que foram idealizadas sejam prototipadas e testadas. Então, as soluções são analisadas em diferentes cenários e circunstâncias, com pessoas em contextos distintos. Através de modelos, é possível enxergar mais claramente se aquela ideia proposta é viável, desejável e praticável.

As etapas do Design Thinking

É importante frisar que o Design Thinking não é uma metodologia, mas uma abordagem de pensamento crítico. Essa diferenciação é importante porque, diferente de uma metodologia, na qual temos uma fórmula que pode ser aplicada a diferentes situações, numa abordagem, existe um processo com algumas etapas, mas não um caminho pronto que deve ser seguido à risca.

Todo processo que busca resolver um problema costuma começar com o entendimento completo do obstáculo a ser superado. Depois, é feita uma análise de possíveis soluções, para depois aplicar a solução definida. Nessa abordagem, não é diferente. O procedimento pode ser dividido em algumas etapas.

1 Imersão

A primeira etapa dessa abordagem é a fase de entendimento e compreensão de todos os elementos de uma determinada situação. O objetivo aqui é analisar o problema apresentado.

A imersão pode ser dividida em duas partes: preliminar e profunda. Na imersão preliminar, o problema é entendido a partir de pesquisas e levantamento de dados básicos sobre o tema desenvolvido.

Já a imersão profunda é mais detalhada e objetiva. A finalidade dessa etapa é a identificação de necessidades e oportunidades que irão nortear a geração de soluções na fase seguinte do projeto.

2 Análise e síntese 

Depois de entender todos os detalhes sobre o problema, é hora de analisar as informações coletadas. É justamente nessa etapa que acontece o planejamento das ações que precisam ser realizadas para que o projeto tenha um resultado eficiente. Por isso, é fundamental que todos os detalhes dessa fase sejam documentados e apresentados de uma forma visual, servindo de base para o restante do projeto.

3 Ideação

Essa pode ser considerada a fase de brainstorming do processo. Após o entendimento do problema e da análise das possibilidades, é hora de coletar ideias para desenvolver uma solução realmente eficiente para o público específico. Na etapa de ideação, deve haver espaço para que todos os envolvidos no projeto possam sugerir ideias e apresentar seus insights.

4 Prototipagem

É o momento em que ideias ganham forma. As melhores opções de solução encontradas nas etapas anteriores são testadas e, se for o caso, viram protótipos com a intenção de tornar as ideias tangíveis. Apesar de ser considerada a fase final, a prototipagem pode acontecer simultaneamente com as outras etapas do processo.

Há quem considere um quinto passo no Design Thinking, a Evolução. Essa etapa se refere ao processo contínuo de melhoria e aprimoramento dos resultados encontrados.

Design Thinking na educação

Cada vez mais, a educação tradicional passa a dividir espaços com novas metodologias de ensino, que buscam tornar o processo de aprendizagem dos estudantes mais completo e atrativo.

Essa abordagem acaba se tornando uma grande aliada na missão de desenvolver nos estudantes habilidades importantes como a empatia e a solução de problemas propostos dentro de sala de aula.

O Design Thinking ajuda a expor os estudantes a um ambiente criativo, participativo e colaborativo, ao mesmo tempo que permite que o estudante encontre soluções para problemas reais, ajudando a sociedade em que ele está inserido enquanto solidifica a sua aprendizagem.

Na Educação, o Design Thinking está muito ligado à interdisciplinaridade, e a abordagem funciona muito bem em trabalhos colaborativos, nos quais os estudantes têm a possibilidade de combinar conhecimentos de diferentes áreas para encontrar uma solução em comum.

Ao criar aulas mais ativas e colaborativas, o educador oferece um ambiente que incentiva a troca de ideias, o debate de pensamentos e o desenvolvimento da criatividade. O formato ainda minimiza os embates e as contrariedades que fazem parte das discussões, afinal, todos estão ali pelo mesmo motivo. A grande sacada do Design Thinking está no trabalho colaborativo para encontrar soluções para uma causa.

Para garantir o sucesso dessa ação, nossos especialistas educacionais estão à disposição. Entre em contato conosco através deste link.

Confira também nossa matéria sobre a metodologia STEAM, que combina as áreas de Ciência, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática em uma abordagem única de ensino.

Siga o Sistema Poliedro
nas redes sociais.

O que podemos fazer
pelo seu futuro?

Notícias relacionadas