Not support Recaptcha
Pular navegação

Ensino Médio

O novo ensino médio e os alunos da Era Digital

29 de junho de 2021

Tags

  • base nacional comum curricular
  • Desafios
  • Gestão Escolar
  • novo ensino médio
  • Plano de Aula

Alunas conversando em mesa de estudo

A lei que reformula o ensino médio, aprovada em 2017, promete proporcionar mais protagonismo para o jovem e mais oportunidades, tanto do ponto de vista profissional quanto do educacional. Além de um novo ensino médio mais atraente aliado a uma educação de melhor qualidade.

O novo ensino médio contará com uma divisão entre a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e 5 novas áreas específicas, também chamadas de itinerários formativos. As redes de ensino pública e privada têm até 2022 para começar a implementar o modelo. Mas o que muda para docentes e principalmente estudantes nascidos na era digital? – Considerando que a necessidade de um ensino dinâmico e atrativo já era latente antes do ensino híbrido.

Conversamos com o consultor pedagógico Werter Alves de Araújo Filho sobre os principais dilemas e desafios do novo ensino médio para os alunos nascidos na era digital.

Sobre o novo ensino médio

Werter destaca que é um entusiasta do Novo Ensino Médio, em que vê muitas possibilidades de motivação para os estudantes. O novo ensino médio vai proporcionar a oportunidade de o aluno estudar parte do currículo focado em seu objetivo de acordo com conteúdos, projetos e laboratórios em que tenha maior interesse.

Com essa nova proposta, pode-se enxergar muitas possibilidades de criar um ensino médio em que os alunos realmente vão gostar de estudar: um ensino de qualidade, que seja motivador. Nesse cenário o estudante passa a ser protagonista do seu processo de ensino e aprendizagem, possibilitando que ele faça a escolha do que deseja estudar.

A evasão escolar dos alunos nascidos na era digital

A média de evasão no ensino médio é de 36%, número muito alto e crescente, com pico no ensino médio. “Para os alunos nascidos na era digital, onde tudo é rápido e imediato, a Escola se torna chata e desinteressante, com professores replicando práticas antigas, aprendidas com seus antecessores. Os alunos são obrigados a ouvir sobre conteúdos que muitas vezes não se conectam com sua realidade ou não tem nenhuma aplicabilidade no dia a dia”, na opinião de Werter.

Quando perguntado a um aluno que já terminou a escola sobre qual professor ou matéria ele mais tem lembrança, quase sempre os mais lembrados são os professores que davam aulas mais dinâmicas ou interativas, assim como as matérias; quando isso não é aplicado de uma forma mínima, os estudantes acabam abandonando o ensino.

O papel da tecnologia na educação

Após o início da Pandemia, em 2020, quem ainda não fazia uso de tecnologia computacional nas práticas educativas, teve que se adequar da noite para o dia. Os professores precisam estar abertos a essas novas tecnologias. Elas já foram adotadas pela geração Z e nós precisamos acompanhar, afinal, cada dia e cada momento vivido é um novo aprendizado. Começamos disponibilizando recursos para reuniões a distância, passamos a fazer uso do ambiente virtual e hoje temos ferramentas educativas oferecidas pelo Poliedro que definitivamente inseriram a tecnologia na maior parte do nosso dia.

Como fazer para aumentar o interesse dos alunos nascidos na era digital no novo ensino médio?

No novo ensino médio, a Escola dará a possibilidade de escolha para o aluno construir o seu currículo, o que por si já será motivador. Até 40% do currículo poderá ser escolhido de acordo com o que o estudante mais acredita ser importante para o futuro pessoal e profissional.

Com a instituição conhecendo a inteligência e as preferências de cada aluno será possível dar um direcionamento mais adequado e interessante a cada um.

Com o novo ensino médio, as escolas adotarão por mais tempo o ensino híbrido ou reduzirão o número de alunos em sala de aula?

Werter acredita que o ensino precisa estar sempre em transformação e quebrando paradigmas. Antes da Pandemia, muitos profissionais da educação eram contra o ensino híbrido, mas, atualmente, professores e alunos estão mais preparados para o ensino a distância, que será facilitado com o novo ensino médio.  Além disso, no ensino presencial podemos ter turmas multisseriadas, com alunos de diferentes idades fazendo parte da mesma sala de aula, reunidos de acordo com seus interesses.

Os itinerários formativos e o uso na era digital

Werter acredita que os itinerários formativos também possam servir como um percurso para formação no novo ensino médio. Qual caminho/percurso o aluno poderá tomar para sua formação? São muitas possibilidades, pois, cada escola poderá fazer uma oferta diferente observando as possibilidades da legislação.

O protagonismo dos alunos terá de ser trabalhado para que eles enxerguem um projeto de vida. Uma escolha mais assertiva, baseada em inteligência socioemocional, feita com segurança e maturidade.

O que muda para os professores do novo ensino médio e como se adaptar à era digital?

Para Werter, os professores deverão repensar sua prática e principalmente seu conteúdo.

Muitos estados, como São Paulo, vão possibilitar que professores ajudem na elaboração dos itinerários formativos. Os professores do Poliedro puderam escolher cursos para adquirir novos conhecimentos e se preparar para esse novo momento.

O papel das redes sociais no novo ensino médio e seu uso na educação

Existem mais de 140 milhões de usuários de redes sociais ativos no Brasil, que passam, em média, 3 horas por dia conectados. Por que não usá-las para agregar valor às práticas educativas? Num mundo em que o educador consegue reter a atenção do aluno por um máximo 15 minutos, quanto mais dinâmico e contextualizado for o conteúdo aplicado, maior a chance de ele ser aprendido. Por isso usar as redes sociais em sala de aula pode ser um recurso bastante eficiente.

Como a tecnologia pode influenciar nos novos métodos de aprendizagem?

Os professores do Poliedro podem contar com plataformas e ferramentas para facilitar o ensino e a interação aluno-professor. No mercado, muito se fala em metodologias ativas para o processo de ensino-aprendizagem, mas, pouco se faz para colocá-las em prática.

Quais os principais desafios da educação na era digital?

Na opinião de Werter, ainda pode haver resistência por parte de alguns educadores, avessos a novidades, o que retarda a implementação de uma nova metodologia em algumas instituições. Os alunos, normalmente estão abertos a mudanças, principalmente as que aproximam o seu dia a dia as suas principais áreas de interesse.

Siga o Sistema Poliedro
nas redes sociais.

O que podemos fazer
pelo seu futuro?

Notícias relacionadas

Assine nossa newsletter