Not support Recaptcha
Pular navegação

Gestão Escolar

Por que planejar um ano escolar?

26 de fevereiro de 2021

Compartilhe

Tags

  • gestão

O planejamento é espinha dorsal da comunidade escolar. Somente com a elaboração de um plano de ação bem definido, com um propósito claro, que uma instituição pode garantir que todos os colaboradores caminhem na mesma direção, permitindo que sua personalidade e identidade sejam preservadas. O planejamento também tem um papel muito importante no processo de aprendizagem dos alunos, pois potencializa a efetividade dos projetos da escola e oferece resultados mais tangíveis.

Não é apenas o conteúdo das aulas que está englobado no planejamento escolar. As metas e objetivos do colégio se enquadram dentro desse conceito. Por isso, todas as áreas de gestão escolar estão previstas no plano global da instituição, sempre levando em consideração o seu Projeto Político Pedagógico.

A organização periódica das atividades escolares costuma ser elaborada em partes, com a participação de professores e coordenadores. Planejar pode ser um ato individual ou coletivo. Quando pensamos em uma aula específica de matemática, por exemplo, é comum que o professor prepare a aula por conta própria. Porém, ao desenvolver o planejamento do ano escolar, é importante que todos contribuam ativamente na elaboração de um projeto adequado.

Existem vários modelos para um planejamento escolar. Alguns mais detalhados, outros menos. Independentemente do seu propósito, todos passam por objetivos, conteúdos que serão ensinados, estratégias e processo avaliativo. Cada instituição de ensino deve confrontar suas realidades culturais, sociais, pedagógicas e políticas, sempre com um olhar para o futuro, para então poder agir.

O papel do planejamento escolar 

Quando construímos um planejamento escolar, devemos fazer alguns questionamentos. O que será ensinado? Qual o motivo para ensinar aquilo? A Base Nacional Comum Curricular, a BNCC, respalda a instituição ao oferecer diretrizes das habilidades, competências e conhecimentos que devem ser construídos com os alunos em aula.

Além do que está previsto na BNCC, as escolas têm a liberdade de acrescentar seus próprios projetos e trazer conteúdos que sejam mais alinhados à sua identidade, à sua missão e aos seus valores como instituição de ensino, considerando, sempre, o desenvolvimento integral do aluno.

Na hora de definir os objetivos do planejamento, é preciso considerar a realidade da escola e as necessidades dos alunos. Não adianta oferecer um curso técnico de biologia em uma escola na qual os jovens queiram ser empreendedores.

A escola também deve questionar se aquilo é viável dentro da sua estrutura e se ela tem os recursos necessários para oferecer determinado curso para seus alunos. Os professores estão preparados para essa nova proposta? É possível oferecer a eles uma formação compatível?

Planejar permite tornar ideias em algo verdadeiro. Uma escola pode ter em seu PPP, por exemplo, a formação integral do aluno. Essa é a missão da escola, mas somente um planejamento bem executado permitirá que isso se transforme em realidade. A organização de sequências de ações permite que sejam feitos os ajustes necessários e, assim, concretizar a proposta pedagógica elaborada, avaliando o quanto a ação foi significativa e efetiva no desenvolvimento integral do aluno.

Montando um plano de ação

O primeiro passo é trabalhar com a equipe da escola e garantir que todos conheçam e estejam alinhados com a proposta pedagógica, além de terem seus papéis bem claros na instituição. O planejamento escolar ajuda a equipe trabalhar em conjunto, à luz da proposta pedagógica e com foco na missão e valores da escola.

Outra dica importante é sempre estar atento ao que funciona na escola e reavaliar o que não deu certo. É preciso também ser ágil e estar bastante atento a novas estratégias, demandas e desafios. Vivemos em constantes transformações, por isso, devemos ser ágeis e revisar o planejamento sempre que necessário.

Um bom plano de ação escolar também considera possíveis riscos e desafios que poderão ocorrer ao longo desse processo. Ao elencar possíveis dificuldades para a execução de determinada ação ou projeto, é possível antecipar ações para evitar ou minimizar tais dificuldades.

Como fazer esse planejamento

O planejamento imagina o futuro da escola e do aluno. Por isso, essa discussão deve ser feita em conjunto com os agentes envolvidos no trabalho escolar. Quando estamos fazendo o planejamento, não podemos esquecer de avaliar os planejamentos anteriores e entender o que funcionou e o que pode ser melhorado.

Os dados que serão analisados também devem ser definidos nesse processo. Para isso, é preciso estabelecer metas mensuráveis e objetivas, com prazos a serem cumpridos. Comece com objetivos amplos e, a partir deles, faça desdobramentos das ações para atingi-los, traçando etapas e momentos de validação, sem perder de vista o objetivo inicial.

Todos os projetos, atividades e processos avaliativos oferecidos pela instituição precisam estar alinhados ao PPP (Projeto Político Pedagógico), ao planejamento curricular e as diretrizes de aprendizagem referentes a cada segmento ou a cada faixa etária.

A coordenação exerce um dos papéis mais importantes nessa reflexão ao impulsionar os professores a pensarem no futuro. O planejamento permite acompanhar, validar e avaliar o trabalho realizado pelo professor e analisar os dados coletados nas diversas atividades para avaliar se os objetivos estão sendo alcançados. Por isso, é primordial que a coordenação esteja atenta aos feedbacks trazidos pelo corpo docente e altere o planejamento conforme necessário.

O planejamento é uma ação necessária dentro da rotina escolar, que pode ser elaborada em diversos momentos e contextos. Os documentos de planejamento, como o Plano Escolar, o PPP e o Planejamento Pedagógico potencializam o processo de aprendizagem e respaldam as ações da escola. Planejar é sempre o ponto de partida.

Siga o Sistema Poliedro
nas redes sociais.

O que podemos fazer
pelo seu futuro?

Notícias relacionadas